A importância da reciclagem do papel

A reciclagem de papel é antiga. Ao longo dos anos, o material mostrou ser fonte acessível de matéria-prima limpa. Com a conscientização ambiental, para a redução da quantidade de lixo despejado em aterros e lixões a céu aberto, os sistemas de reciclagem de papel evoluíram. As campanhas de coleta seletiva se multiplicaram e aumentou a ação dos catadores nas ruas, que têm no papel usado uma fonte de sustento.

O papel é um dos materiais mais aproveitados no processo de reciclagem. Ele contribui para reduzir o volume de lixo descartado e a poluição do solo, do ar e da água, além de diminuir os custos industriais. Entre 1970 e 1994, a porcentagem de papel reciclado cresceu de 23% para 37% no mundo inteiro. No Brasil, 33% do papel que circulou em 2004 retornou à produção através da reciclagem. Esse índice corresponde à  aproximadamente 2 milhões de toneladas.A maior parte do papel destinado à reciclagem, cerca de 86%, é gerado por atividades comerciais e industriais.

A reciclagem de papel é o reaproveitamento de fibras celulósicas de papéis usados para produção de um novo artefato de papel. É importante ressaltar que os papéis não podem ser reciclados indefinidamente sem que haja perda de qualidade. Após cada utilização, eles perdem parte de suas propriedades e só podem ser reciclados para uso distinto, e um pouco menos nobres, do que o original.

A reciclagem consiste basicamente em três processos principais: (1) a preparação da polpa, (2) a remoção das impurezas, e (3) a aplicação de produtos químicos. Os equipamentos para preparação da polpa e para remoção das impurezas são muito similares na maior parte das fábricas, mas as diferenças estão no desenho do processo e na aplicação de químicos, os que diferem dependendo da classe do novo papel que se quer produzir, do nível de qualidade requerido na apresentação do papel e da tecnologia da fábrica papeleira. (nota técnica)

Entre os tipos de papel que podem ou não ser reciclados), temos:

Recicláveis: jornais e revistas, folhas de caderno, formulários de computador, envelopes, rascunhos, caixas em geral, aparas de papel, fotocópias, papel de fax, cartazes e folhetos.

Não Recicláveis:  papel carbono, fita crepe, papéis metalizados, papéis parafinados, papéis plastificados, papéis sanitários, “papel” de bala, embalagens de biscoitos, papéis sujos, etiqueta adesiva, tocos de cigarro e fotografias

O papel reciclado pode dividir-se em 2 grupos bastante distintos, um composto por papel já utilizado e que foi reciclado e outro composto por papel que restou quando do corte do papel na produção.

Algumas vantagens de se reciclar papel:

Redução dos custos das matérias-primas: a pasta de aparas é mais barata que a celulose de primeira;

Madeira: Uma tonelada de aparas pode substituir de 2 a 4 m3 de madeira, conforme o tipo de papel a ser fabricado.

Água: Na fabricação de uma tonelada de papel reciclado são necessários apenas 2.000 litros de água, ao passo que, no processo tradicional, este volume pode chegar a 100.000 litros por tonelada;

Energia: Em média, economiza-se metade da energia, podendo-se chegar a 80% de economia quando se comparam papéis reciclados simples com papéis virgens feitos com asta de refinador;

Redução da Poluição: Teoricamente, as fábricas recicladoras podem funcionar sem impactos ambientais, pois a fase crítica de produção de celulose já foi feita anteriormente. Porém as indústrias brasileiras, sendo de pequeno porte e competindo com grandes ndústrias, às vezes subsidiadas, não fazem muitos investimentos em controle ambiental.  Diminui-se cerca de 75% das emissões atmosféricas e 25% as descargas para o meio aquático;

Consumir menos 45% de oxigénio durante o processo relativamente ao fabrico de papel novo.

Criação de Empregos: estima-se que, ao reciclar papéis, sejam criados cinco vezes mais empregos do que na produção do papel de celulose virgem e dez vezes mais empregos do que na coleta e destinação final de lixo.

Fonte: http://www.sabernarede.com.br/a-importancia-da-reciclagem-do-papel

 

default
Post Written by