O setor gráfico cumpre o seu papel.

O setor gráfico antecipou-se nas medidas essenciais para melhoria da qualidade de vida da população mundial. Há cerca de cinco meses da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Meio Ambiente, a Rio+20, a ser realizada em junho de 2012, aconteceu o 15º Congresso Brasileiro da Indústria Gráfica (Congraf), realizado de 8 a 11 de outubro de 2011, em Foz do Iguaçu – PR, no qual foi aprovado por unanimidade propostas ligadas à cadeia produtiva da comunicação impressa: a educação pública de qualidade para todos os brasileiros impossibilitados de pagar escolas particulares.

“Acreditamos que, independentemente da ONU e do contexto internacional, o Brasil tenha condições de fazer essa grande lição de casa em prol do desenvolvimento.” , diz Fabio Arruda Mortara, presidente da Abigraf e Sindigraf – SP.

A ampliação de programas governamentais de compras de livros, abrirá espaço para que os alunos das escolas públicas recebam uma gama mais ampla de livros. Outro ponto relevante, foi a implantação de bibliotecas públicas nos municípios brasileiros, no mínimo de uma para cada 30 mil habitantes.

“Existe ainda, propostas para a saúde, outro fator condicionante ao sucesso da meta de erradicação da miséria e melhoria da indústria gráfica e o resgate da Agenda 21 qualidade da vida: defendemos a isenção de impostos incidentes sobre as embalagens dos medicamentos. Tal medida baratearia o custo dos remédios. O mesmo raciocínio aplica-se às embalagens dos produtos que compõem a cesta básica. Sem a pesada carga tributária, haveria reflexos positivos no preço dos alimentos, cuja tendência de elevação tem sido objeto de crescente preocupação da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Educação, saúde, segurança alimentar, inclusão social e salubridade do habitat são as bases de sustentação da humanidade no século 21. Por isso, a indústria gráfica brasileira mobiliza-se no sentido de contribuir para o sucesso do Brasil no cumprimento desse compromisso essencial com a presente e as futuras gerações.” , finaliza Fabio Arruda Mortara, em entrevista à Revista Graphprint.

Por: Adriana Oliveira

Fonte: Revista Graphprint .Indústria Gráfica e o Resgate da Agenda 21. Entrevista, Agnelo Editora, Ano XV, pág. 74. Abr. 12.

default
Post Written by