Sustentabilidade: oportunidade para a pequena empresa

Como a onda da sustentabilidade pode favorecer os negócios

A embalagem é um item obrigatório nos produtos de consumo, pelo qual a empresa já pagou, pois integra a composição de custo do produto. Trata-se, portanto, de um recurso que pode funcionar como ferramenta de marketing a custo praticamente zero. Sabemos hoje que a maior parte das companhias brasileiras, sobretudo as menores, não dispõe de recursos para investir no marketing e na divulgação de seus produtos. Um cálculo estima que cerca de 90% dos produtos encontrados nos supermercados não têm apoio de marketing. Ao contrário de ser um dado desanimador, ele indica quê, na grande maioria das vezes, os produtos se encontram em igualdade de condições no ponto de venda, já que dependem única e exclusivamente de suas embalagens para competir. As pequenas empresas têm na verdade uma grande oportunidade de competir para valer, desde que seus produtos tenham boas embalagens, compatíveis com o padrão visual da categoria em que competem. Pena que a maioria delas não sabe disso, nem sabem que podem ter embalagens tão boas quanto as de seus maiores concorrentes. Segundo pesquisas do Comitê de Estudos Estratégicos da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), o consumidor não separa a embalagem de seu conteúdo. Para ele, os dois constituem uma única entidade indivisível. E, a apresentação visual de um produto, feita por sua embalagem, é decisiva para a formação de sua opinião, pois a embalagem é um instrumento de avaliação e referência que ele utiliza para selecionar e preferir o produto entre as opções disponíveis no ponto de venda. O design da embalagem apresenta impacto no processo de seleção porque agrega valor e significado aos produtos de consumo, sendo o principal responsável pela percepção final que esses produtos terão no mercado. Incorporar ao design algo que o consumidor valoriza e percebe como valor, é um tipo de ação que está ao alcance da pequena companhia. Por não dispor de grandes linhas de produção comprometidas com tecnologias e materiais tradicionalmente utilizados, a pequena empresa pode, com maior facilidade, optar por caminhos novos, nos quais são possíveis as escolhas que grandes empresas têm capacidade de fazer, justamente por causa de seus atributos históricos e sua imagem consolidada que precisa ser mantida. O mesmo pode ser dito em relação aos requisitos ambientais das embalagens. Fica mais fácil para a pequena empresa adotar embalagens que atendem a essas exigências sem ter que mudar grandes linhas de produção ou a imagem tradicional de produtos líderes ou destacados em suas categorias. Há muitas formas de fazer isso, começando por conhecer bem essas condições. Existe hoje muita ideologia e emoção envolvendo a questão ambiental e pouca qualidade na informação e conhecimento técnico pertinente. A primeira coisa que a pequena empresa necessita saber são os conceitos corretos da sustentabilidade para poder adotá-los e comunicá-los de forma eficaz. Uma vez conhecidos e assimilados, esses conceitos devem se transformar em diferenciais competitivos e corretamente comunicados nas embalagens para que sejam percebidos pelo consumidor. Escolher materiais de embalagem adequados e de reciclagem comprovada – que adotem conceitos simples – facilmente compreendidos pelo consumidor e uma comunicação que destaque nas embalagens esses atributos, é um caminho seguro a ser seguido. Outra coisa importante é a inclusão de selos e certificações ambientais. Existem muitas opções que podem ser escolhidas, como, por exemplo, o selo Forest Stewardship Council (FSC), o selo verde mais reconhecido no mundo, representado no Brasil pelo Conselho Brasileiro de Manejo Florestal FSC Brasil. Esse selo certifica que a embalagem que o ostenta foi produzida com papel proveniente de floresta com manejo sustentável, processado por companhias que atendem aos rígidos requisitos dessa certificação. Qualquer embalagem de papel-cartão no Brasil pode exibir esse selo, desde que ela seja impressa numa gráfica certificada, utilizando o mesmo papel. Esse é um exemplo bem simples de como é possível adotar um diferencial de sustentabilidade sem aumentar os custos da embalagem e, ao mesmo tempo, mostrar aos consumidores que a empresa se preocupa com essa questão. Há outras certificações que podem ser utilizadas, mas o mais importante é que os aspectos ambientais na embalagem sejam corretamente comunicados, e, para isso, a Abre criou uma cartilha com a sinalização ambiental que deve ser disponibilizada nas embalagens para sua reciclagem. Essa cartilha está disponível na entidade e todos precisam conhecê-la. Quando uma pequena empresa imprime em suas embalagens os selos e símbolos da sustentabilidade, ela está firmando seu compromisso e a preocupação que tem sobre esse tema, e isso faz diferença na percepção do consumidor. Essas são apenas algumas das oportunidades que talvez sejam aproveitadas pelas pequenas companhias. Vale a pena estudar melhor esse assunto, pois as pequenas empresas podem fazer coisas e adotar rapidamente, a baixo custo, modificações em suas embalagens, já que nas grandes empresas levariam muito tempo e demandariam enormes investimentos. A sustentabilidade deve ser vista pelas pequenas empresas como algo que pode se transformar em formas eficientes de melhorar a competitividade de seus produtos.

 

Por Fabio Mestriner – Professor Coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem da ESPM, Coordenador do Comitê de Estudos Estratégicos da Abre e Autor dos livros, Design de Embalagem, Curso Avançado e Gestão Estratégica de Embalagem.

Fonte: Revista Embalagem & Tecnologia

www.embalagemetecnologia.com.br

default
Post Written by